Biografia

A vocalista e fundadora do Evanescence nasceu no dia 13/12/1981 em Riverside, Califórnia (Parkview Hospital). É a filha mais velha de Sarah e John Lee, DJ na rádio K106.3 de Little Rock, Arkansas, onde a família mora desde a adolescência de Amy. John e Sarah viveram em várias cidades em torno da carreira musical de John Lee até Amy nascer. Ainda assim, a família passou por várias cidades como West Palm Beach, Flórida, Rockford e Illinois. Os filhos do casal são Amy, Carrie, Lori e Robert (Robby); a segunda filha de John e Sarah faleceu em 1987, aos 3 anos, por causas desconhecidas e o irmão Robert tem epilepsia. Esses dois acontecimentos inspiraram a música e as ações sociais de Amy, com a composição de Hello e Like You para a irmã e a criação da campanha Out Of The Shadows para conscientização sobre epilepsia. Atualmente, Amy mora no Brooklyn (antes em Manhattan), NY, com o marido e amigo de adolescência Josh Hartzler e o filho do casal, Jack Lion.

Pela raiz musical da família, Amy começou a estudar piano erudito desde criança, além de tocar violão. No colégio Pulaski Academy, Amy era a presidente do coral e sempre esteve envolvida com os projetos de arte. Aos 13 anos, em um acampamento cristão de verão para jovens, ela conheceu Ben Moody, na época com 14 anos, que convidou-a para montar o Evanescence, em 1994. Ambos construíram uma relação de amizade muito forte e sempre se reuniam para compor na casa da família de Amy. As gravações demo contavam com a ajuda de amigos da região que se tornaram membros da banda posteriormente, como Will Boyd e Rocky Gray. Alguns anos depois, após o lançamento dos primeiros EPs, David Hodges (amigo de Ben) juntou-se à banda e a banda gravou o disco Origin, em 2000. O álbum contém como faixa extra a música de formatura do coral regido por Amy no colégio, interpretando Listen To The Rain, de sua autoria. Através de David, Amy conheceu Josh Hartzler. Algumas mudanças de visual são marcantes nessa fase, quando Amy passou a adotar os cabelos pretos (originalmente loiros).

Após o lançamento de Origin, como todos os membros já estavam formados no colégio, os três se mudaram para Memphis por alguns meses para gravar novos demos. O pai de Amy conta que eles recebiam suporte das famílias durante esse período, incluindo comida, porque a casa era toda voltada para a gravação buscando efeitos diferentes de ambiência. O produtor do estúdio em Memphis, Pette Mathews, passou a contatar gravadoras para mostrar o trabalho da banda, até chegar no acordo com a Wind-Up Records. O pai de Amy, nesse meio tempo, também incentivou-a a ingressar na faculdade de Música, na Middle Tennessee State University, onde ela teve interesse em trilhas sonoras e estudou por um semestre (só conceito A), quando as turnês começaram em 2003.

Quando a banda conseguiu o contrato com a Wind-up, a gravadora cedeu um apartamento em Los Angeles para ensaios. Amy tomou três aulas de técnica vocal com o famoso Seth Riggs, que também foi coach de Michael Jackson. Ela também teve aulas de presença de palco com ele, aprendendo a interpretar a música enquanto a dublava e fazendo contato visual com o coach. O que antes era difícil para ela, tornou-se muito mais fácil após essas aulas.

Com a mudança para LA, a gravadora inicialmente exigiu que a banda colocasse mais um membro no Evanescence: um vocalista masculino de rap. A banda foi contrária à decisão e acabaram deixando o apartamento e retornando para Arkansas, bastante tristes com a situação. No entanto, como apareceu a oportunidade da trilha sonora de Daredevil, a Wind-Up pediu para que eles tivessem em uma música só a participação do rapper.

Após o sucesso mundial do Evanescence, em 2003, Amy e a banda passaram a viver na estrada. David Hodges decidiu sair da banda poucos meses antes, pois queria seguir a música cristã em seus projetos solos – hoje trabalha como produtor de diversos cantores famosos. O Evanescence passou a contar com os amigos da banda de Little Rock: John LeCompt, Rocky Gray e Will Boyd.

No 22/10/2003, Ben Moody decidiu repentinamente deixar o Evanescence pois a relação entre ele e Amy tinha se tornado insustentável. A equipe técnica comentava que eles deveriam realmente “tirar umas férias” um do outro, embora a turnê quase diária não permitisse. O pai de Amy, John Lee, comentou que Ben não conseguia administrar psicologicamente a rotina estressante que a banda estava tendo. Terry Balsamo, da banda Cold, entrou como novo guitarrista. Em 2004, o trio que gravou o Origin se reencontrou pela primeira vez desde este dia para receber dois Grammys por Fallen e Bring Me To Life.

Durante a turnê, Amy começou um relacionamento com Shaun Morgan, da banda Seether assinada também pela Wind-Up, com quem gravou uma participação em Broken em 2002. Os dois começaram a namorar em meados de 2004 (quando ambos assistiam a um show do Staind na África do Sul) e o relacionamento durou até 2005.

Em 2005/2006, o Evanescence começou as composições para o próximo álbum. A dupla que mestrou as composições de The Open Door foram Amy e Terry. Sobre o relacionamento com Shaun Morgan, Amy compôs as músicas Call Me When You’re Sober e Lithium, embora não pretendesse que ficasse explícito o motivo da inspiração – em 2011, Shaun escreveu Breakdown sobre a relação dos dois. Pouco antes do lançamento do álbum em setembro/2006, Amy e Josh se reencontraram numa festa e começaram a namorar. Josh passou a ir com a banda em alguns shows da seguintes turnês mundiais. Em 06/05/2007, eles se casaram numa cerimônia particular na casa dos pais de Amy, em Little Rock, e David Hodges foi padrinho.

Alguns dias antes do casamento, John LeCompt anunciou online que havia sido demitido do Evanescence por Amy Lee, em clima de inimizade. Rocky Gray também deixou a banda. Após a lua-de-mel, Amy declarou no EvThreads que ambos não estavam felizes de não fazerem parte das composições e que queria que ambos seguissem seus caminhos. A entrada de Troy McLawhorn e Will Hunt em 2007 tornou-os membros permanentes.

A turnê The Open Door também foi marcada por uma série de apresentações acústicas, onde Amy era acompanhada ao violoncelo tocado por Dave Eggar. O músico se tornaria futuro parceira na carreira solo de Amy Lee.

Após uma longa pausa, Amy começou a trabalhar em um novo álbum para o Evanescence em 2008. As composições e gravações tiveram ao todo três fases: em 2008, Amy comentava muito sobre as aulas de harpa e que estava se inspirando em música folk e celta. O assunto do álbum ficou parado e Amy participou do disco comemorativo de 15 anos do Nightmare Before Christmas. Também houve aparições em eventos de moda e no Legends & Lyrics, onde Amy apresentou a música Your Love, premiada no NMPA 2008. Em 2009, Amy sairia dos projetos pessoais e começaria a compor o novo álbum do Evanescence com Terry e Tim e o produtor Steve Lillywhite. O álbum, com várias influências eletrônicas, foi arquivado pois a gravadora não aprovou o processo. A banda recomeçou tudo do zero em 2010, compondo conjuntamente com Will Hunt e Troy McLawhorn e o produtor Nick Raskulinecz. Devido a esse primeiro trabalho feito totalmente em grupo, o álbum foi chamado de Evanescence por renovar o estilo musical da banda, numa linha muito mais rock e pesada, ainda com alguns dos elementos característicos.

A turnê do EV3 levou a banda ao Rock in Rio 2011 (primeiro show da turnê, após dois pequenos anteriores ao lançamento do álbum), a estreia da música If You Don’t Mind em solo brasileiro e a primeira viagem da banda para vários países. A promoção do álbum, no entanto, não foi satisfatória, o que levou Amy a processar a Wind-Up Records após longa parceria por negligência. Atualmente, o catálogo do Evanescence pertence à Bycicle Music Records. Após o fim do contrato com a Wind-Up, Amy chegou a publicar no Twitter que estava finalmente livre. Do álbum Evanescence, somente dois clipes foram produzidos pela gravadora; Amy Lee, devido à repercussão dos fãs, lançou de forma independente o clipe de Lost In Paradise, feito com vídeos amadores da turnê EV3.

Quando entraram de férias, Amy declarou que o Evanescence que não sabia o que pensava para o futuro da banda. A banda estava disponível, entretanto, para shows pequenos ou festivais pontuais. Assim, a banda viajou em 2015 e em 2016 para algumas poucas cidades.

A próxima era seria marcada pela maternidade de Amy Lee e projetos particulares. Ela se aventurou no mundo das trilhas sonoras, um sonho que mantinha desde quando cursava Música. Lançou com o violoncelista Dave Eggar a trilha sonora de War Story, intitulada Aftermath. Com Will ‘Science’ Hunt [não é o baterista] e Chuck Palmer, divulgou composições individuais como Find A Way e o álbum Recover, somente de covers. Finalmente, em 2016, Amy lança um álbum infantil feito com seu pai e suas irmãs, chamado Dream Too Much, inspirado no filho Jack Lion e com letras compostas com o marido.

Trivia

  • O nome “Amy” veio da canção “Amie” de Pure Prairie League.
  • Apelidos de infância de Amy incluem “Amers” e “Ames”.
  • Amy adora gatos, é alérgica a lagosta e já quis ser veterinária.
  • Amy tem uma cicatriz no ombro causada por um bicho geográfico. O nome da cicatriz é Charlie!
  • Mozart é o compositor favorito de Amy. Quando criança, ela assistiu ao filme Amadeus e pensou em se tornar pianista de concerto. Em 2006, o coral de Lacrimosa, do Réquiem de Mozart, foi utilizado na música Lacrymosa.
  • O pai de Amy comenta no documentário After Midnight que Amy e Ben namoraram durante a adolescência e que o relacionamento era marcado por muitas idas e vindas. Eles sempre estavam juntos porque se sentiam deslocados no colégio, e também para compor.
  • Após a saída de Ben, Amy compôs The Last Song I’m Wasting On You e nunca mais falou com ele. Ben disse que fez algumas tentativas de contato, convidando ela e David Hodges para assistir Star Wars III (2005), mas ela não foi.
  • Alguns fãs entendem que Ben e Amy tiveram um relacionamento amoroso com abuso psicológico e que Going Under foi composta por Amy sobre isso. Há uma declaração da esposa de Rocky Gray no EvBoard confirmando a natureza do relacionamento. Ben também teve um relacionamento complicado, caracterizado da mesma forma, anos depois com a cantora Hana Pestle.
  • Em 2011, Shaun Morgan deu uma entrevista comentando sobre o relacionamento e o rompimento com Amy Lee de forma bastante sentimental. Devido ao lançamento de CMWYS, alguns fãs passaram a agir de forma ríspida online com o músico, aos quais Shaun replicava. Ele inclusive demonstrou forte descontentamento quando Troy, após turnê com o Seether (2008-2011), decidiu retornar ao Evanescence. Em 2011, em uma apresentação de CMWYS, Amy cantou a música mandando um _|_ sobre toda a situação.
  • O noivado de Amy com o terapeuta Josh Hartzler ocorreu em 08/01/2007; foi anunciado mundialmente quando o apresentador da TRL perguntou sobre o anel no dedo de Amy, em entrevista no dia seguinte. Amy casou-se em cerimônia privada na casa da família, em Little Rock, em 06/05/2007. Não há nenhuma foto do casal durante o casamento, somente algumas fotos dos convidados (David Hodes) e da família que vazaram online. Em 18/01/2014, Amy anunciou no Twitter que estava grávida: Jack Lion Hartzler nasceu em 07/2014.
  • O marido Josh Hartzler é terapeuta ativo em trabalhos de cunho social. Josh e Amy se envolvem com os projetos To Write Love On Her Arms e Restore NYC, entre outros.
  • Seu filme favorito é The Nightmare Before Christmas. No aniversário de 15 anos do filme, Amy pôde gravar e apresentar uma versão de Sally’s Song.
  • Em 2016, inspirada pelo marido, Amy Lee gravou com seu pai e suas irmãs o álbum infantil Dream Too Much, com canções originais e covers que ela costumava cantar ao filho Jack Lion.

Música

Amy possui três grandes parceiros de composições: o violoncelista e pianista Dave Eggar, que acompanha o Evanescence nas apresentações acústicas desde a turnê The Open Door; o percussionista e produtor Chuck Palmer, que trabalha com Dave; e o baterista e produtor Will “Science” Hunt, ex-colega de banda de David Hodges. Em filmes, Amy Lee já trabalhou com Danny Lohner e Michael Wandmacher.

Amy Lee
Amy Lee
Dave Eggar
Dave Eggar
Chuck Palmer
Chuck Palmer
Will 'Science'
Will 'Science'

Arte

Manuscritos da Amy Lee
Desenhos da Amy Lee
Croquis da Amy Lee

Causas Sociais

Em 2005, Amy Lee virou porta-voz da Out Of The Shadows, fundação que busca angariar recursos e aumentar a conscientização a epilepsia. O irmão mais novo de Amy, Robbie, foi diagnosticado ainda na infância.

Amy apoia a ONG To Write Love On Her Arms, instituição americana de prevenção ao suicídio. O terapeuta Josh Hartzler, seu esposo, é membro-conselheiro; o casal é amigo do fundador. David Hodges também é apoiador.

Amy já se apresentou, ao lado de Dave Eggar e Chuck Palmer, e participou de vários eventos beneficentes da Restore NYC, organização de combate ao tráfico de pessoas. A música My Heart Is Broken foi inspirada nas vítimas.

Amy se apresentou em 2013, ao lado de Dave Eggar e Chuck Palmer, num evento beneficente da Wellspring House, instituição de apoio à inclusão social e auxílio ao emprego, lançando a música Find A Way.

Amy desenhou duas lancheiras, em 2008 e 2007, para o 4º e 3º leilões anuais em benefício de The Food Bank For NYC e The Lunchbox Fund of South Africa. O total arrecadado em 2008 foi de US$4.185; em 2007, foi de US$700.

Amy confeccionou botas Ugg em benefício à VH1’s Save The Music Foundation, em 2004, com o intuito de melhorar a educação musical nas escolas americanas. O total arrecadado foi de US$400.