"Eu achava que o Evanescence era mais sobre roupas pretas e emoções sombrias"

Leia abaixo a contraditória review feita pelo site Take40.com sobre o show do Evanescence em Melbourne ontem. Texto que está gerando grande repercussão entre os fãs no EvThreads.

 

Eu nunca estive em um show do Evanescence antes, e há várias coisas que me surpreenderam em relação ao show.

Número um? Os fãs. Fico encabulado em admitir que eu genuinamente não sabia que havia fãs apaixonados o suficiente pelo Evanescence em Melbourne para encher uma arena. Eles não somente apareceram aos montes, mas chegaram vestidos em estilo. Muitos em figurinos elaborados envolvendo espartilhos, batom preto, pisando em botas longas de couro e muito mais.

De onde essas pessoas vieram? Eu sem dúvida não dividi o mesmo bonde com elas nos últimos tempos. Eu fiquei impressionado com a sua paixão... E eu tenho que dizer que fiquei um pouco intimidado com os seus vestuários.

Número dois? Eu não esperava a vocalista Amy Lee emergir no palco vestindo um roxo, preto e cintilante tutu combinado com uma legging dourada. Eu realmente não esperar ver isso. Eu achava que o Evanescence era mais sobre roupas pretas e emoções sombrias, e o show me ensinou que na verdade não era nada disso.

Eles arrebentaram com um hit do seu novo álbum, chamado “What you Want”, e discretamente foram para "Going Under", faixa que foi resultado do seu álbum de estréia “Fallen” e que de fato deixou o público agitado.

A voz da Amy lee estava impecável, e a banda de apoio super pesada atrás dela (quem sabia que o Evanescence era tão pesado?) açoitou a multidão em sua apresentação. Não sei como todos os espartilhos sumiram na multidão ofegante... Mas eu estava feliz por não estar usando um!

Algumas músicas foram despojadas de volta, e começou uma sessão acústica no piano, que acrescentou uma outra dimensão musical para o seu som. Cada canção era perturbadora e hipnotizante, graças ao “romper-coração” da Amy Lee (como transformo isso em uma aliteração?). Melodias e letras... Eu também logo percebi que este sentimento também foi em grande parte devido ao seu uso evocativo e generalizada de nosso bom amigo escala menor.... Utilizado por qualquer nerd de música que toca em casa.

Longe da frente da senhora Amy Lee, a banda atrás dela era realmente impressionante. O baterista Will Hunt encarregava-se de ocupar todas as músicas com super percussões-acrobáticas. Estou falando de tambores Double Kick, ficar girando e cuspindo catarro esporádico. A banda como um todo provocou um monte de mãos de rock no meio da multidão (dedos indicador e mindinho para cima se você quiser experimentar).

Estranhamente eu achei que muitas das músicas me lembraram hinos "Louvado seja Deus"  do *Hillsong... O que fez mais sentido quando me contaram mais tarde que alguns membros da banda têm um fundo musical baseado no metal cristão (outra descoberta de gênero surpreendente!).

Evanescence tocou um monte de músicas novas... Provavelmente mais do que a multidão queria ouvir, mas isso nunca é realmente uma surpresa quando uma banda tem um lançamento recente. Não havia dúvida de que o material mais antigo foi o que mais chamou aplausos, com "Bring Me To Life" e a bela e gran- acústica "My Immortal" no final do conjunto que incitaram uma completa aclamação de pé em torno do local.

Eu dou a este show 7 inesperados tutus em uma escala de 0 a 10.
 

 

*Hillsong:  Hillsong United é um conhecido grupo musical gospel formado por jovens da Hillsong Church, na Austrália. Sua música é louvor e adoração com um estilo pop-rock contemporâneo, com algumas influências de rock

 

 

 Tradução e Adaptação: Immortal Essence

No votes yet




icone do Facebook icone do Twitter
 
imagem de Akemy Namba

Desculpe, mas para acreditar

Desculpe, mas para acreditar que o Evanescence é uma banda gótica, essa pessoa precisa se esforçar MUITO.

E nem a imagem da banda é esta. Lá na era Fallen mesmo, podia-se ver a Amy usando roupas fofinhas, como no VMA 2003, com sandálias de fitas cor-de-rosa e no clipe MI com aquele vestido branco (lindo!). Fora que ela nunca usou maquiagem relativamente pesada, salvo algumas ocasiões.

Logicamente, que o Evanescence é muito mais que uma mera imagem. E é ótimo que as pessoas quebrem os paradigmas quanto a isso, pois não há nada pior para uma banda/artista que ser rotulado, pois quando são taxados de algo, é como se as pessoas os limitassem, privassem-os de seus poderes de expressão, de sua capacidade artística. A música não é um padrão a ser seguido, é uma arte. E é como diz uma certa frase: "Quem se define,  resume-se."


imagem de JoyceLee

Não vi nada de mais na

Não vi nada de mais na review....só mais uma pessoa que tinha uma ideia gótica e distorcida sobre o Ev, e que quando descobriu que Evanescence nunca foi e nunca será gótico, ficou surpresa. Dã. Acontece o tempo todo.  Entendo que dava pra confundir um pouco no começo, a Amy usava roupas mais pesadas como em ABH e tinha músicas como Tourniquet...Mas agora que já foram lançadas WYW e Lose Control e que a Amy se apresente com aquela roupa do RiR, é ridículo que ainda tenha essa ideia.  E alguns fãs também não ajudam...Indo pra um show do Ev vestidos de góticos...fala sério. Evanescence é muito mais do que esses rótulos toscos.